Como garantir a qualidade dos blogs científicos do portal ABC?

Quais são os critérios usados para selecionar os blogs do ABC?

Por Osame Kinouchi

Por definição, a blogosfera científica é uma comunidade, e o objetivo do portal não é “patrulhar” a mesma, mas sim dar um acesso aos leitores, de forma concentrada em listas de links, para blogs científicos, quer sejam populares, quer sejam pouco conhecidos. Entretanto,  é claro que a questão da qualidade dos blogs permanece pois ser incluído no portal implica pelo menos em um aval do Laboratório de Divulgação Científica e Cientometria (LDCC-FFCLRP-USP).

Por outro lado, como poderíamos definir se um blog é científico, se não é possível definir ou demarcar (rigorosamente) o que é Ciência?

É de comum acordo que blogs específicos sobre pseudociências (entendidas como práticas ou teorias que se dizem fundamentadas cientificamente mas que não são avalizadas pela comunidade científica) e paraciências (entendidas como práticas ou teorias que não afirmam serem fundamentadas cientificamente) não são o objeto primordial do portal (lembrar a letra C do ABC).

Assim, existe uma seleção, porém não é uma triagem fina mas sim  uma triagem grossa. Por exemplo, eu imagino que muitos psicanalistas se sentiriam desconfortáveis caso fossem chamados de “cientistas” (embora Freud talvez não), pois afinal hoje a Psicanálise é tida mais como uma disciplina de humanidades, com grande viés subjetivo e filosófico. Sendo assim, caso um blogueiro psicanalista como o Rogério Silva, do blog Freud Explica e participante da Roda da Ciência, queira se inscrever no Portal, em que classe do ABC ele poderia ser incluído? Mente e Cérebro? Ciências Sociais e Humanidades? Literatura?

Por outro lado, por vezes aparecem posts tão fracos (do ponto de vista científico – ou seja, cheios de falácias e pensamento ideológico) em blogs “céticos” ou de “ateísmo militante”, os quais pretendem “defender a Ciência”, que uma filtragem estrita em termos de qualidade também poderia afetá-los.

Talvez a questão central seria pensar em que sentido a Blogosfera pode realmente divulgar ciência ou cultura científica. Será que não seria melhor dizer que o que a Blogosfera Científica faz é uma “conversação sobre ciência”, como o Science Blogs da SEED afirma? Ou seja, assim como a USP não avaliza nossas conversas sobre ciência e filosofia na cantina do departamento de Física, mas apenas avaliza (minimamente) os seus professores contratados,  assim também o portal ABC não avaliza posts individuais mas apenas, em termos gerais, o blogueiro (ou blog) científico pertencente ao ABC. Quem vai dar realmente o selo de qualidade de cada blog são os leitores e blogueiros (seus pares), com avaliações em forma de críticas, comentários, prêmios (como o Prêmio ABC, por exemplo), seleção para condomínios de blogs específicos etc.

Assim, nossos critérios grossos de validação são:

1. O blog não se dedica a divulgar teorias de conspiração e nem assume uma posição de confrontação com a comunidade científica (ou seja, não afirma que a Ciência não aceita os tópicos ali discutidos pelo fato de existir uma conspiração mundial de cientistas para abafar o assunto e enganar o público). Por exemplo, blogs sobre Criacionismo Bíblico,  UFOlogia Mística ou que defendam que os astronautas da Apollo XI não pisaram na Lua tem marcadamente este caráter conspiratório e não são elegíveis para o ABC.

2. Uma fração substancial dos posts do blog tem a ver com disciplinas científicas ou com a vivência de uma carreira científica.

Critérios adicionais mas não necessários são:

3. O blog manteve uma postagem contínua de mais de seis meses.

4. O blog é reconhecido por ampla parcela da blogosfera científica (já formada) como sendo um novo blog científico.

Observação importante: Não é necessário que o blog ainda esteja ativo. O conteudo de posts científicos em geral se mantém atual por bom tempo, de modo que mesmo um blog “morto” pode ser bastante útil para os leitores.

O objetivo de um portal de blogs científicos poderia ser patrocinar um elenco selecionado de blogs científicos strictu sensu. Ou talvez apenas blogs educacionais e pedagógicos, que não envolvam colunismo ou especulação cientifica. Talvez outros portais o façam, mas no presente estágio, o objetivo do ABC é outro: um mapeamento extensivo da blogosfera científica latu senso, um banco de links (“resumo bibliográfico de blogs”) que possa servir como conjunto de dados iniciais para pesquisas mais aprofundadas sobre a blogosfera científica (já existem duas teses de doutorado – uma na UNICAMP e outra na UFRGS – que usaram o banco de links do ABC), uma facilitação de acesso visando catalizar sua expansão, pois acreditamos que a qualidade dos blogs de ciência vai emergir da quantidade de pessoas envolvidas com a blogosfera científica.

Anúncios
  1. Osame, bom post.

    Diria que estamos passando da validação de um centro mais rígido para a validação mais ampla, incluindo mais gente, incluindo leitores.

    Um blog, um vendedor do mercado livre, um sebo na estante virtual, seja lá quem for, deve ser validado por uma comunidade que utiliza aquele espaço.

    Imagino que um blog que gostaria de ser científico deveria ter em algum lugar dele um local para que o leitor pudesse apontar a validade daquele blog para o avanço de sua percepção em determinada área.

    Um blog, assim, poderia se candidatar a ser científico, sendo feito por pesquisadores oficiais, ou não e ser validado pela comunidade que o lê.

    Podemos dizer que a ciência é feita pelo avanço dos pensamentos sobre determinado fenômeno e que isso pode ser feito de várias formas, incluindo um artigo formal acadêmico, ou não.

    Temos que pensar em uma ciência mais aberta e quem deve apontar se um blog é ou não científico é a comunidade que dele se beneficia.

    Nessa validação podemos ter critérios de perfis, tal como:

    quem diz que é científico é alguém com graduação, com mestrado, com doutorado ou com pós-doc, por perfil profissional, por ser pessoas envolvidas na sociedade com o tema, etc,,,,

    E, de novo, cabe ao leitor escolher que critérios ele vai adotar para os blogs científicos.

    Para mim, pode ser só os blogs referendados por doutores, para outro os blogs, referendados pelo terceiro setor, para aquele pelo mundo corporativo, etc,,,

    Ou seja, será científico por quem diz que é…meio parecido como o que é arte, como o que é poesia….

    Que dizes:

    • shorenster
    • 28 de julho de 2013

    Olá, sou um dos administradores da página / site Projeto Plêniades ( http://www.projetopleiades.com ), gostaria de saber vocês teriam interesse numa parceria para melhor de divulgação de ambos os sites, por meio de troca de links entre os sites.

  2. muito boa esta matéria adorei o blog vou visitar sempre !

  3. Carlos, até hoje não tivemos nenhum problema no ABC onde o blogueiro insiste que seu blog é cientifico mas pelos padroes academicos tal blog nao seria.
    Mas eu concordo que a linha é difusa: os blogs céticos da Evolucao (criacionistas), céticos do Clima e céticos da Historia (revisionistas do Holocausto, do projeto Apolo etc.) são cientificos? Bom, eu acho que podemos aceitar um blog cetico do Clima desde que o autor nao seja um fanatico que veja o IPCC como parte de uma grande conspiracao. Também fico meio ressabiado com blogs “ceticos” (notou que o problema do Criacionismo, dos ceticos do clima e dos revisionistas historicos é justamente um excesso de ceticismo, beirando a paranoia?) que nao respeitam o trabalho academico, por exemplo, da sociologia e historia das religioes. Tive, por exemplo, uma longa discussao com um desses blogueiros que era adepto da teoria conspiratoria que nega a existencia historica do personagem Jesus de Nazaré. É consenso entre os especialistas que, assim como Pitagoras, nao podemos falar com certeza praticamente nada sobre a historia ou ensinamentos desse personagem, mas outra coisa é dizer que o personagem é (totalmente) um mito inventado por Paulo de Tarso por volta de 47 EC (Era Comum) ou mesmo mais tarde. Ou seja, este blogueiro tem uma opiniao particular que contrasta fortemente com o consenso academico nos estudos historicos e apela para argumentos conspiratorios (tudo é uma grande conspiracao dos cristaos, pois Jesus nunca existiu). Será que devo chamar essa hipotese minoritaria de pseudocientifica? Será que o blogueiro é pseudocientifico? Ora, todos nós, nas fronteiras da ciencia, temos nao apenas o direito mas até o dever de examinar hipoteses minoritarias (que poderao estar corretas amanhã). Assim, o criterio do LDCC é: se tal hipotese minoritaria não se configura como o tema central do blog (como é o caso dos criacionistas e revisionistas historicos), entao o blog é util para a comunidade de leitores e blogueiros de ciencia, e nao deve ser classificado como pseudocientifico.

  1. 29 de agosto de 2012
  2. 21 de novembro de 2013

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: